domingo, 2 de agosto de 2009

HISTÓRIAS DO ROCK NACIONAL | 2

HISTÓRIAS DO ROCK NACIONAL

Por: Aristides Duarte

Cenas de António Garcez (Pentágono, Psico, Arte & Ofício, Roxigénio, Stick)

Com o Pentágono tive dois concertos memoráveis; um em Sintra na qual Sofia Loren e Omar Sharif estiveram presentes e outro em Vilar de Mouros onde toquei no mesmo palco com Elton John. Simplesmente fenomenal.

Com os Psico há uma história em particular e relaciona-se com um concerto em Chaves aquando do nascimento do meu filho Tiago. Quando recebi a chamada anunciando o seu nascimento estávamos todos no hotel, não é necessário dizer que demos cabo do 2.º andar do mesmo. Levou-me algum tempo a pagar os prejuízos.

Com os Arte & Oficio foram imensas as loucuras, mas a mais interessante foi um concerto na Covilhã com o pavilhão totalmente cheio. Tocámos com os Tantra. O público quase me despiu e carregou-me aos ombros num desfile. Pensando nesses dias, hoje acredito que havia mais Rock nas cidades do Interior do que nas grandes cidades do Litoral.

Com os Roxigénio, desde dar uma tareia no Beto Palumbo durante a gravação do primeiro álbum, até persuadir os fãs, em Esposende, a apedrejar a GNR e quase acabar na cadeia, passando por Coimbra no Estádio da Académica despindo-me em palco não sabendo que o presidente da Câmara estava presente, passando depois por Vilar de Mouros com um grande concerto e uma invasão de palco que mais nenhuma banda teve, incluindo os U2. Grandes e inocentes tempos.

Aristides Duarte | www.rockemportugal.blogspot.com

Sem comentários: