sexta-feira, 23 de março de 2007

Na Grafonola do Marsupilami com Monomonkey

São da Marinha Grande, e por lá já não passam despercebidos. Tocam um rock melodico mas intenso, que entra no ouvido e na alma de quem os ousa ouvir. Para além de quererem sempre tocar ao vivo, ou não fossem uma banda de rock, têm actualmente como grande objectivo trabalhar para gravarem o seu álbum de estreia. Estes senhores são os Monomonkey, e aceitaram a convite do Marsupilami.

Marsupilami (M) - Antes de mais, obrigado aos Monomonkey, por aceitarem responder a algumas perguntas que vos queria fazer. Obrigado.

Monomonkey (MM) - Nós é que agradecemos. Sinceramente.

M - Os Monomonkey formaram-se em 2004, por iniciativa do vocalista e guitarrista Ricardo Simões. Que pretendiam fazer os Monomonkey nessa altura?

MM - Para dizer a verdade, só passava pela nossa cabeça tocar na sala de ensaio. Quando a banda teve inicio, cheguei a dizer que não tinha pretensões de desenvolver muito a banda. Só queriamos tocar musicas simples e bonitas, sem grandes artefactos.


M - Gravaram uma maqueta dois anos após a vossa formação. Qual foi a reacção das pessoas na Marinha Grande ao vosso trabalho?

MM - A reacção tem sido muito positiva, já fizemos duas séries de 150 cópias e estão quase a esgotar. Além disso, temos tido boa afluência aos concertos, e o feedback do publico tem sido bom.

M - Sei que têm concertos agendados para este mês. Para além desses concertos, pensam já em gravar algo mais "sério", ou ainda é prematuro falar disso?

MM - Estamos a preparar a gravação do nosso album de estreia, que esperamos que seja editado ainda este ano. Para já, não podemos divulgar muito mais, pois não há ainda certezas absolutas.

M - Na vossa opinião, há condições (suficientes) na Marinha Grande para uma banda como os Monomonkey se mostrar?

MM - Na Marinha Grande já mostrámos o que tinhamos a mostrar, agora queremos expandir a nossa área de actuação. A Marinha Grande é uma cidade muito pequena, com muitas bandas e poucos sitios onde tocar.

M - E no país?

MM - No país, entendemos que há condições para nos mostrarmos, mas é preciso muito trabalho e alguma sorte para conseguir aceder a alguns espaços. Tem sido muito dificil para nós agendar concertos, mas estamos convencidos que com o tempo, e muito trabalho as coisas podem melhorar para nós.

M - Neste momento, quais são os objectivos dos Monomonkey?

MM - Gravar o album, tentar arranjar edição para o mesmo e acima de tudo, compor novas musicas, que é o que nos dá alento desde o inicio.

Curiosidades:

M - Porquê o nome Monomonkey?

MM - Não há uma boa explicação para o nome. Escolhemos o nome a partir de uma lista que tinhamos feito, era o nome que achavamos mais “orelhudo”.

M - A formação foi sempre a mesma desde o início?

MM - Não. O David Silva (baixista) entrou para a banda no inicio de 2006 e veio substituir o Pedro Afonso que teve de sair por motivos profissionais.

M - Influências?

MM - Boa musica. Há muitas bandas que nos influenciam, mas sobretudo, procuramos ser originais.

Mais informações sobre os Monomonkey:

O Site dos Monomonkey.

Ouvir os Monomonkey no Myspace.

Sem comentários: