quinta-feira, 2 de julho de 2009

OBSESSIVIDADE INTERMITENTE | 5

logoOBIParece-me que está a dar uma terrível vontade de fazer a lírica parecer português e atropelar-se nos dias que se fazem aqueles versos em que se dizem coisas que desmontadas, são pela realidade do que se deseja, que é reconhecimento puro da beldade absurda de não se dizer coisa nenhuma quando realmente não se tem nada para dizer.

Projectos novos? Bons, alguns. Pseudos, muitos.

Custa-me continuar a ver que o seguidismo é o que de mais agradável tem este país. Talvez por termos 50 anos de atraso, em relação aos outros países, pudéssemos ver, de forma consequente, que o que eles fazem mal nós não precisamos de fazer igual. Talvez pudéssemos ver que realmente não é preciso ser igual ao que está a dar (a não ser que não saibas fazer outra coisa, filho). Podemos também ser todos iguais, vá. Diga-se que isto tem a ver com um certo esquema sociológico de tendências actuais. Ser diferente é cool, ter carisma e personalidade. Que dirão os amish?

Há uma certa evolução notória para sítio nenhum, que acaba por andar sempre para algum lado. Afinal vivemos todos os dias, nada a fazer. Mas será que toda a gente continua a não ter nada a dizer? Será que sou eu, que feito maluco, me canso de ver seguidismos de coisas feitas para as garagens dos amigos que, por direito próprio, se tornaram planos, cabarets, caixas de música eventos para o prazer dos mesmos? Será que é de mim? Será que é de mim ver bandas como Homem Mau e Sr. Acaso, que tão bem ficariam nessa luta pela bandeira da língua portuguesa e dignificaria com alguma novidade o que temos visto por aí? Será que é de mim? Ok, já antes disse que está melhor e que não é dramático, é um facto, mas há pequenas injustiças que me intrigam, que não me deixam dormir e que me fazem escrever isto às 6h da manhã. Será que os Tryangle, uma banda do norte do país, que não é conhecida pelo público em geral, consegue um contrato discográfico com a Lockjaw por não valer um caral*o? Ou nós é que andamos a dormir e a deixar essas bandas boas tocarem para 5 pessoas nos bares? Será que é preciso interceder uma conhecidíssima Everything is New, organizadora de eventos como o Alive, para percebermos que os MOSH, do Porto, já deviam estar há muito mais tempo a fazer Tours pelo mundo inteiro? Felizmente abriram o Manson cá no Coliseu, e sabem que mais? PARTIRAM TUDO!! Que será que é preciso? Que será que é preciso para em vez de serem as bandas a pedinchar para tocarem aqui e ali e para passarem na rádio, nós fazermos com que isso aconteça para elas? Solid, vocês conhecem Solid? Blind Charge? Hanging By a Name? Foda-*e, vocês já ouviram os Plus Ultra?

Anda tudo doido.

http://www.myspace.com/homemmau

http://www.myspace.com/sracaso

http://www.myspace.com/tryangletheband

http://www.myspace.com/moshmusic

http://www.myspace.com/solidpt

http://www.myspace.com/blindcharge

http://www.myspace.com/hangingbyaname

http://www.myspace.com/soonplusultra

Davide Lobão | www.myspace.com/chemicalwire

Sem comentários: