quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Na Grafonola do Marsupilami | peixe:avião

Entre o mar e o céu, algures pelo meio, ou então um pouco por todo o lado, andam uns senhores chamados peixe:avião, banda de Braga que certamente muito boa gente já conhece, ou ouviu falar. Depois de uma promissora maqueta lançada no ano transacto, a expectativa era alta, mas chegou ao fim. Na passada segunda-feira, dia 15 de Setembro, lançaram o álbum de estreia, intitulado “40.02” que promete entrar no coração de todos aqueles que o quiserem ouvir e descobrir. O Marsupilami, fez-lhes algumas perguntas na semana anterior ao lançamento de "40.02", perguntas a que eles responderam prontamente, de forma sincera e apaixonada, exactamente como a sua música. As repostas, podem-nas ler já de seguida...

foto promocional 003 Quem são os peixe : avião?

Somos uma banda de Braga que teve início em agosto de 2007, formada por pessoas de diferentes áreas e formações, reunidas pela vontade simples e vincada de criar música.

Quando e como começou esta aventura? E, na altura quais eram os objectivos?

Teve início há um ano por esta altura; em agosto de 2007 o Luis Fernandes, o Zé Figueiredo e o Ronaldo Fonseca conversaram no seu café habitual e decidiram dar início a este projecto, ao qual se juntariam Pedro Oliveira e André Covas. Apesar de quase desconhecidos entre si, houve desde o início uma forte empatia e complementaridade dos 5 elementos, dando de imediato solidez aos objectivos imediatos de criar música e fazê-la chegar a tanta gente quanto possível.

Depois da primeira maqueta “finjo a fazer de conta peixe : avião”, estão prestes a lançar aquele que será o vosso álbum de estreia, intitulado “40.02”. Sinto que há já um culto em redor de vocês, sentem o mesmo? Como têm reagido as pessoas ao vosso trabalho, às vossas músicas?

Sentimos uma certa curiosidade e burburinho mas será ainda cedo para se falar em culto. Estamos orgulhosos desta segunda etapa da nossa existência e, apesar de ainda pouquíssima gente o ter ouvido, julgo que as pessoas vão gostar do disco se o ouvirem. Cremos que o disco tem muito para descobrir e requer atenção a cada audição. Se assim for, a música vai retribuir.

Podem adiantar algo mais sobre esse vosso álbum que sairá em breve?

O nosso álbum é composto por 10 temas, 2 dos quais faziam parte do nosso EP de estreia. Foi gravado pelo Zé Figueiredo, Luis Fernandes e José Arantes na Oops! (Barcelos), produção por nós e pelo Paulo Miranda na AMP (Viana do Castelo), e masterizado por Allan Douches, na WestWestStudios (New York).

Que querem transmitir, no geral, com o vosso som, as vossas músicas?

Queremos que haja uma descoberta de sensações e pormenores melódicos pela sua audição.

Onde se inspiram os peixe : avião?

Cada um de nós tem as suas próprias fontes de inspiração, as suas musas, os seus momentos. Mas partilhamos entre nós a música como inspiradora, pois ou espelha ou veicula a determinados estados de espírito. A vontade de dizer algo sem saber muito bem como, é suficiente para despoletar essa necessidade de fazer música.

foto promocional 004 Vocês cantam em português. Foi desde logo algo que decidiram que tinha de ser assim, ou foi algo pensado posteriormente? Acham que vos poderá ajudar a chegar mais rapidamente às pessoas, pelo menos no nosso país?

Um dos motivos porque a tomámos tem a ver precisamente com a capacidade de chegar às pessoas mais rapidamente, dentro do nosso pais. Por outro lado, do ponto de vista criativo achámos que o português oferece mais possibilidades do que o inglês. Cantar em português foi uma condição basilar deste projecto, pois não teria qualquer sentido se assim não o fosse: a nossa língua é muito musical, fluida, cheia de sentido e beleza. Tal como o inglês, cremos que possui em si universalidade e que pode carregar consigo a mensagem lírica e musical que pretende. O inglês sempre foi a língua de eleição para a maioria das bandas, pelo que foi descrito, mas também – regra geral – não precisar de haver grande detalhe na construção das letras, por ser bastante plástico e de fácil/difícil interpretação. Para nós, tem que existir o trabalho de coexistirem as letras e a música que as suporta, tudo tem que ser talhado para que, tanto uma como a outra poderem existir sozinhas. Ambas carregam uma mensagem. Pensamos e falamos em português. Se bem que a música possa ser uma linguagem universal, importa que consigamos cunhar com “portugalidade” a nossa.

Está já a decorrer a fase de divulgação deste vosso novo trabalho. Têm sentido dificuldades a esse nível? E como o têm feito?

A nossa editora (rastilho records) tem tratado desse departamento e o seu trabalho tem sido muito bom. Temos conseguido chegar às pessoas através da net, da rádio e da imprensa e isso é fundamental. Apesar de todos se desdobrarem em esforços para haver divulgação do nosso trabalho, tem sido um processo bastante natural, tem havido interesse em descobrir o nosso projecto.

Ainda sobre a divulgação, a net tem hoje em dia um papel fundamental nesse campo. Qual é a vossa opinião em relação à influência que a net tem tido sobre a música? Acham que poderá trazer mais vantagens ou mais desvantagens para uma banda como os peixe : avião?

Do ponto de vista da divulgação, não vemos que desvantagens pode oferecer a internet. Na verdade, sem ela não poderíamos provavelmente ter chegado neste período de tempo à edição de um álbum. É actualmente o meio de fazer chegar informação e de a adquirir de forma mais rápida.

Ao nível de concertos, acham que existem locais suficientes no nosso país, quer em quantidade quer em qualidade, para uma banda como os peixe : avião se apresentarem ao vivo?

Essa é uma questão que pode nunca ter resposta. É claro que quantos mais sítios com qualidade e com boa afluência de público existirem, melhor para nós e para todas as outras bandas, mas temos de lidar com as condições que existem e fazer o melhor possível para dar bons concertos e chegarmos ao maior numero possível de pessoas através deles.

Qual a vossa opinião em relação ao actual panorama musical português?

De dia para dia, nascem projectos musicais portugueses de qualidade, o que é bastante notório nas playlists das rádios, nos cartazes de festivais, no myspace, entre outros. Acresce o recurso à nossa língua, que também é bastante positivo. Vai-se perdendo o medo de pegar no português e moldá-lo para canção. Assiste-se igualmente a um crescente interesse pela música nacional por parte do público, admitindo tanto um incremento qualitativo do que por cá se faz como uma readaptação do que por cá se ouve.

E em relação ao estado geral do país?

Não anda bem de saúde, o nosso pais...

foto promocional 002 E agora, quais os próximos passos dos peixe : avião?

Temos para já marcadas várias actuações, que servirão para divulgar o nosso álbum de estreia e o nosso nome.

Uma última pergunta: qual a vossa personagem preferida de banda desenhada?

O Homem-Aranha?? Talvez por ter a vida mais complicada e ter mais dificuldades que o Super-Homem. Sendo super, tudo pode e tudo faz – e a vida sem grandes desafios não tem muita piada.

Curiosidades:

Porquê o nome peixe : avião?

É um nome que reúne algumas soluções imagéticas, que não contém uma interpretação estanque, que se pode desenvolver em ambientes e atmosferas várias. Consegue reflectir a nossa música, portanto.

Influências?

Todos temos as nossas, mas existem algumas que partilhamos: pop-rock britânico, indie-rock, alternativo e experimental.

Bandas nacionais que têm ouvido?

Clã, Mão Morta, Mikado Lab, entre tantas outras. Existem muitas boas bandas no nosso pais a praticar muito boa musica.

Myspace dos peixe:avião

Sem comentários: