sexta-feira, 6 de junho de 2008

Na Grafonola do Marsupilami | Bettershell

Ainda não completaram dois anos de existência, mas a sua marca vai ficando por onde quer que passem. Dois concursos de música moderna em que participaram, dois prémios, dois reconhecimentos pelo trabalho que têm vindo a desenvolver, duas provas de que tudo vale a pena. Desta vez, não foi o Marsupilami que esteve à conversa com eles, mas sim um amigo, que ficou incumbido de falar com os Bettershell, banda oriunda de São João da Madeira. Essa mesma conversa, directa e sincera entre o Diogo Gomes e os Bettershell, podem lê-la duas linhas abaixo...

Em primeiro lugar, gostaria de agradecer a todos os membros dos Bettershell por aceitarem fazer esta entrevista.

BS01 Quando nasceram os Bettershell e com que objectivo?

Os Bettershell nasceram em Novembro de 2006 na consequência de projectos anteriores que já envolviam alguns membros da banda. O objectivo foi continuar o sonho que existia em relação à música.

Depois de inúmeros concertos, possuem algum material gravado ou podemos ficar à espera de algum lançamento?

Temos em nossa posse uma demo que gravamos em Agosto, mas visto que a qualidade não está totalmente do nosso agrado, vamos aproveitar o facto de termos ganho o primeiro prémio do Rocktaract 2008 para gravarmos o nosso primeiro EP.

Onde vão os Bettershell buscar a inspiração e a criatividade para a vossa música? Possuem de alguma fórmula ou simplesmente deixam-se levar?

Optamos sempre por abordar um tema e consoante o mesmo tentamos colocar vivências de cada um dos membros falando sempre de acontecimentos nossos. Em relação a fórmulas, não existe, geralmente deixamo-nos levar e as músicas vão surgindo.

Sentem dificuldades em divulgar o vosso trabalho?

Sim, mas devido a meios financeiros, porque nos dias de hoje, para passarmos a nossa música em rádios ou em outros meios da comunicação social, geralmente é necessário pagar para uma banda que não está no panorama nacional.

Sentem que a internet é um aliado poderoso nesse campo da divulgação?

Muito, é o melhor.

No seguimento da pergunta anterior, qual é a vossa opinião em relação à pirataria e partilha via Internet? Acham que ajudaria ou prejudicaria uma banda como os Bettershell?

Como uma banda que está no início, poderá ajudar muito como prejudicar. Isto porque uma banda ao investir dinheiro e existir pirataria, a banda fica sem meio de obter lucros sem ser o facto dos concertos realizados.

O que falta mudar ou fazer melhorar as condições do mundo da música no nosso país?

Mudar as mentalidades das pessoas principalmente dos industriais da música em Portugal mas é muito complicado isso acontecer. Isto porque são eles que decidem o que vende e não vende, o que torna o mercado nacional muito abaixo do nível internacional.

Como se preparam para os concertos? Existe algum ritual e conjunto ou em separado de algum membro antes de subir ao palco?

Ensaiamos e fazemos um aquecimento geral. Em relação a rituais, não existe nenhum em concreto, estamos todos juntos na conversa a relaxar.

BS02O que sentem ao entrar em palco, nele e ao saírem dele?

Ao entrar sentimos um pequeno nervosismo porque é outro mundo estar perante o público que está ali por nossa causa, para nos ouvir. É quase como se mudássemos de personalidade.

Ao sairmos, sentimos alguma desilusão porque vemos que acabou e por nós estávamos mais tempo lá.

Quais os objectivos dos Bettershell? O que poderemos esperar de vocês neste momento?

Sinceramente, neste momento, não podemos mencionar nada em concreto mas poderemos dizer para esperarem algo de bom. Um deles é lançar/editar se possível o nosso primeiro EP.

Para terminar, qual a vossa personagem de banda desenhada favorita?

Zorro, Taz e claro, Marsupilami.

Curiosidades:

Porquê o nome Bettershell?

Pensamos em vários nomes e cada um com um significado especial para nós. De todos esses nomes, escolhemos aquele que mais se identificava connosco, ou seja, para nós Bettershell, como o nome indica, Shell em português é concha, ou seja, refugio e a música era esse refúgio que precisávamos.

A formação foi sempre a mesma desde o início?

Não, os Bettershell começaram com Isaías Pereira na voz e guitarra, Pedro na bateria, Sid no baixo e ao longo do da composição das músicas notamos que precisávamos de mais um guitarrista para apoiar mais as mesmas. Depois de experimentarmos algumas pessoas achamos que o Licínio seria a pessoa mais indicada para fazer parte do projecto e começar uma carreira no mundo da música connosco.

Influências musicais, há influências individuais ou os Bettershell têm as mesmas influências?

Praticamente são as mesmas, Simple Plan, Papa Roach, Alter Bridge entre muitas outras. São tipos de sons muito variados que ouvimos.

Em que género musical acham que se enquadram os BetterShell?

Pop Rock Norte Americano.

Os BETTERSHELL querem desde já também agradecer a todas as pessoas que nos têm ajudado e acompanhado até hoje mesmo quando as coisas não estão no seu melhor.

Entrevista: Diogo Gomes (diogosg@netvisao.pt)

Introdução: Marsupilami

Myspace dos Bettershell

Sem comentários: