sexta-feira, 14 de julho de 2006

A grafonola d'o marsupilami IV - RATM

Pouco passava do meio dia de hoje. Tinha acabado de sair de mais uma "operação rabo". Entro no marsu-móvil, e ligo a ignição. Marca 36 graus no termómetro do respectivo. O rádio automaticamente liga-se (ou não estávamos no marsu-móvil), e grita: "Fuck you, I won't do what you tell me... Fuck you, I won't do what you tel me..."! Entro no ritmo sem precisar de pensar! A música é contagiante e faz com que canta em voz alta, e acompanho o ritmo com a cabeça, já que estou a conduzir e não convém acompanhar com mais nenhuma parte do meu corpo. As palavras repetidas aumentam de volume e intensidade, até a um grito de raiva! Pena só ter entrado no mar-móvil quando a música estava no fim!

E tudo tem um fim! Tal como a música, a própria banda, já acabou. Foi com grande pena minha que soube do seu fim. Mas a vida é mesmo assim. Até então o trabalho foi excelente, e se calhar por esse mesmo motivo, decidiram acabar nesse momento! Bem, certezas nunca se tem, mas o que deixaram é muito bom, e destaco o primeiro álbum dos Rage Against The Machine, que para mim é o melhor! E agora que ouvi o final de "Kill In The Name", vou ter de ouvir o álbum todo, de novo...

Sem comentários: